segunda-feira, 4 de dezembro de 2017

MARANHÃO : São Luís terá primeiro Museu do Reggae fora da Jamaica…


Um sobrado do século XVIII na Rua da Estrela, em São Luís do Maranhão, torna-se a partir de 28 de dezembro a sede do primeiro Museu do Reggae fora da Jamaica. O sobrado, fruto da expansão algodoeira do Maranhão a partir de 1755, era uma edificação que vinha sendo utilizada para fins burocráticos.

Reformada com projeto do arquiteto Eduardo Longhi, será inaugurada com uma festa na praça que ladeia o prédio, a já famosa Praça do Reggae. Será uma enxurrada de bandas, radiolas, DJs, cantores, tendas de moda e acessórios, trancistas (cabeleireiros especialistas em dreadlocks e cortes afro), culinária e artesanato.

O acervo do Museu do Reggae é material e imaterial. O acervo material compõe-se de relíquias de colecionadores, parte comprada e parte doada. São discos raros de vinil, além de roupas, acessórios, gravações raras em vídeo, fotografias e outras preciosidades.

A banda pioneira Tribo de Jah, criada há 31 anos no Maranhão, doou ao museu a guitarra usada em seu primeiro show. Outra peça do acervo é a mítica radiola (sound system) de Edmilson Tomé da Costa, o Serralheiro, que era o mais antigo DJ em atividade no Brasil quando morreu, em abril, aos 70 anos, após ter ajudado a popularizar o gênero. Ele fez 17 viagens à Jamaica nos anos 1970 para garimpar discos e montou uma discoteca com 5 mil vinis.


Já o acervo imaterial é composto dos registros que documentam um caso extremado de paixão cultural: memórias em depoimentos gravados com os principais personagens da cena reggae ao longo dos tempos, livros, artigos, teses, dissertações digitalizadas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário